A aprendizagem baseada em jogos estár se tornando cada dia mais popular. Como descrito por Mattar (2009) “A cultura da passividade (assistir) estaria sendo substituída pela cultura da interatividade (participar ativamente)”. Porém. como o mesmo autor acrescenta, o uso de aprendizagem baseada em jogos ainda tem uma longa estrada para percorrer: “Um dos desafios do design de games é produzir jogos que sejam divertidos e ao mesmo tempo gerem reflexão e senso crítico.”

E para tornar o assunto ainda mais difícil, outro problema comum na área de jogos educativos é que frequentemente iniciativas acabam morrendo na praia na hora da divulgação ou se tornam insustentáveis como economicamente. Portanto analiso aqui algumas honrosas exceções nacionais, exemplos de jogos educativos que tem apresentado um esforço sustentado de divulgação e uso.

O Jogo Sustentável, da Sinergia, me parece voltado para a administração e gestão e se propõe a oferecer “uma mudança de modelo mental para o século XXI”. O jogo seria um instrumento para treinamento e desenvolvimento de novas competências, que segundo o pessoal do RH podem ser definidas como a soma de conhecimento, habilidade e atitude. A empresa não apenas vende o jogo, como também oferece workshops e cursos de certificação para que se atue como facilitador do jogo.  Achei genial da parte deles criar um negócio economicamente sustentável (afinal a idéia também é essa não?) baseando-se tanto na venda de produtos (o jogo) como de serviços (treinamentos e eventos).

Já o Banfisa e (IN)DICA-SUS são voltados para a área de saúde pública ajudando os usuários a aprender mais sobre o Sistema Único de Saúde.Pelos custos  suponho que ambos são produzidos em tiragens pequenas, do tipo produzidas por gráficas de conveniência evendido a preço de custo. O trabalho é coordenado pelo grupo de pesquisa GEPS – GESTÃO, EDUCAÇÃO E PRÁTICA SOCIAL EM SAÚDE E NA ENFERMAGEM da Universidade de Brasília.

O Reciclando foi uma adaptação do jogo comercial Recicle, produzido pela Galapagos Jogos em parceria com o WWF, Agência Nacional de Àguas e Fundação Banco do Brasil. O jogo adaptado está sendo utilizado como uma ferramenta de conscientização social onde o objetivo do jogo é gerir uma cooperativa de reciclagem.

O que posso ver de todos os casos é que além de ser preciso construir uma estratégia de emprego do jogo é essencial fazer parcerias e um trabalho constante de divulgação e emprego. O uso de workshops e participação em eventos sociais, acadêmicos ou empresariais parece ser o ambiente mais eficaz para se criar uma comunidade em torno dos jogos e garantir o seu uso.

Anúncios