No fim de fevereiro fui na Game ON, uma exposição sobre videogames que rolou no CCBB. Enquanto a maioria das pessoas ia atrás dos diversos consoles de jogos novos e antigos que estavam espalhados pelo evento eu fui com objetivos mais específicos. Mais do que ver propaganda de jogo meu interesse estava nos painéis sobre de criação de alguns jogos famosos hoje, como Max Payne e Grand Theft Auto. Esses painéis eram discussões e rascunhos reais descrevendo o processo criativo para a produção dos jogos.

fluxograma 1

O interessante é ver como o processo de criação é algo específico. Há algo de cinema, como sua grande preocupação com o aspecto visual, mas sem a linearidade dos storyboards usados em cinema e TV. Um que diferencia a criação dos jogos é a interatividade, a capacidade do usuário interagir e interferir no ambiente torna o processo de criação bem diferente. É possível ver a preocupação em se oferecer  diversidade de opções ao jogador. Seja na forma como o cenário se apresenta ou na forma de uma árvores de possíveis decisões, mostrados em vários fluxogramas ou perguntas e respostas.

Enfim, ver os painéis me confirma a previsão de Bogost sobre os videogames serem uma mídia em processo de amadurecimento. Ao menos é possível ver que o processo de criação está amadurecendo e que o desafio de criar uma narrativa não linear é complexo.

 

Anúncios