Por motivos óbvios,uma das áreas que mais investiu em treinamento e design instrucional sempre foi a área militar. Por exemplo, Prensky (2001) considera  que o investimentos americanos nos anos 60 e 70 foram fundamentais para o nascimento da indústria de videogames a partir dos anos 80. Enfim, é uma relação complexa e bem entrelaçada. Tanto que vi vários trabalhos de militares nos cursos de pós em Southampton, algumas mais criativas e interessantes do que eu imaginava para o meio militar. Só na minha turma metade dos alunos era oficial do exército britânico e uma das minhas melhores referências na dissertação foi o trabalho de um instrutor da escola de infantaria do exército deles, justamente sobre o uso de videogames para treinamento. Portanto um estudioso de Treinamento, Desenvolvimento e Educação (TD&E) é algo bem comum, até natural eu diria.

Mas voltando ao ponto, um dia desses topei com o artigo Epidemia de Snipers, falando sobre o grande número de atiradores de precisão que vêm surgindo nas forças armadas americanas nos últimos anos. Por um lado tal mudança é um reflexo das demandas atuais que os EUA vêm enfrentando no Iraque e no Afeganistão, onde a necessidade de (tentar) evitar baixas civis tem levado à procura por mais precisão. Isso também pode ser visto nas pesquisas bombas menores e com sistemas de pontaria cada vez mais precisos para reduzir o danos colaterais. Porém, como observado por um dos comentaristas da matéria, que também é fuzileiro naval americano, o que está acontecendo é que na verdade nos últimos anos as escolas de infantaria vêm formando atiradores em número suficiente para preencher as vagas, o que antigamente não acontecia.

Como o próprio artigo comenta, uma das coisas que mudou nesse meio tempo também foi o uso de simuladores, que torna o treinamento mais eficaz e barato, aumentando o número de soldados que treina tiro de precisão. O resultado seria que 10% de seus soldados e oficiais atualmente são habilitados para isso. Porque nos simuladores é possivel aumentar a frequencia de treinamento, com menos custo depois do sistema estar instalado. O que explica o que foi observado pelo comentarista.

Enfim, ainda que não seja o único fator, o que temos é uma mudança real provocada pela evolução das formas de treinamento.

Anúncios