Eu sempre tive um certo gosto por assuntos não usuais para meus trabalhos. Um dos meus trabalhos preferidos durante a graduação foi uma análise do trabalho dos DJ´s para uma matéria de ergonomia. Foi quando eu descobri que pessoas comuns adoram ver que seu trabalho interessa a alguém, o resultado é que a maioria dos DJ´s reagiu muito bem ao simples fato de ser entrevistado. O resultado é que durante umas duas semanas eu tive acesso a um monte de boates e cia para acompanhar o trabalhos deles, com flagrantes ofertas de open bar. O resultado foi tão bom que consegui nota máxima no curso de ergonomia e ainda aproveitei meu material de pesquisa para tirar outra nota máxima em introdução à antropologia.

Desde que vim para cá venho tentando repetir a tática, não só escolher assuntos que sejam do meu interesse como também alinhar todos os meus trabalhos nas matérias com a dissertação, que por sinal já está batendo na minha porta.

Ok, isso pode soar um tanto óbvio, pelo menos para mim sempre soou assim, mas para minha surpresa poucos de meus colegas pensaram no assunto. Alguns inclusive perguntaram se era correto fazer isso. Só me pergunto porque diabos não seria. A vantagem é que já tenho uma razoável base teórica sobre o meu assunto, inclusive sabendo quais autores confiar e as encrencas ainda a resolver. O que me poupa alguns baldes de suor em termos de revisão de literatura.

Anúncios