jogoDentre as propostas de jogos brasileiro, uma que eu vi bem pertinente foi a do jogo da Reforma Ortográfica. A proposta é oferecer uma opção interativa e divertida de aprender mais sobre as novas regras da língua portuguesa. O jogo usa a tecnologia flash e ficou leve para baixar e a dinâmica de jogo bem ágil, sem os tediosos tempos de carregamento. Enquanto a mecânica é parecida com a do MASTER da Grow, em que as respostas certas permitem o jogador avançar em um tabuleiro.

Por outro lado em termos educacionais, para variar, eu senti falta do reforço ao comportamento correto, quando o jogador acerta a resposta não há uma explicação do por quê da resposta estar certa. O jogador acaba de receber uma recompensa por acertar, isso o motiva e seria o momento perfeito para mostrar a regra gramatical que justifica o acerto. Isso sim seria reforçar o aprendizado. No caso do erro, pior ainda porque não se diz qual erro e nesse caso a pergunta é simplesmente repetida. Acaba sendo um incentivo ao chute. O legal seria o aluno ter um feedback de onde foi seu erro e responder uma pergunta similar e, aí sim, avançar. Existe uma proposta de interação no jogo e ela de fato ocorre, mas pessoalmente achei que o jogo poderia se aprofundar mais, puxar mais  do jogador e oferecer mais também em termos de interatividade.

Essa limitação auto-imposta em termos de profundidade me lembrou o comentário de Ian Bogost sobre o polêmico jogo Bully, que o jogo era uma ótima oportunidade para refletir e discutirsobre  a realidade social dentro das escolas americanas e o fenômeno do bullying, mas tanto os projetistas, quando defensores detratores do jogo passaram batido por esse aspecto.

Ainda que como designer eu compartilhe da idéia de que é melhor um projeto pequeno que funcione do que um projeto grande e pretensioso que nunca termina, acho que trabalhos bem feitos podem ousar mais e se propor a ir um pouco além em termos educacionais. Mas, quem sabe, estou apenas falando o óbvio e o competente pessoal da FMU já  está andando com uma versão 2.0 contendo as melhorias que sugeri e outras coisas mais.

E claro, o jogo está disponível aqui.

Afinal projeto é assim, uma hélice que sempre sobe e gira, mas sempre melhora.  De qualquer modo é um exemplo promissor do que uma faculdade e uma empresa de comunicação podem produzir juntas.

Anúncios