operacao-valquiria_poster_01

Considerando meu fraco por história admito que era simplesmente inevitável assistir esse filme. Seguem abaixo algumas informações úteis para quem fugiu da escola: Organizada por políticos e oficiais dissidentes alemães a Operação Valquíria foi a última tentativa conhecida de assassinar Adolf Hitler e foram “apenas” 14 tentativas antes dessa, comprovando a teoria de que vaso ruim não quebra fácil. Além do atentado contra Hitler em si a idéia era desalojar os nazistas da estrutura de poder alemã através de um golpe ousado que deveria ser aplicado no decorrer de horas para então negociar a paz com os aliados. Isso provavelmente mudaria em muito as geopolítica do mundo que conhecemos hoje. No entanto, se você não fugiu da escola deve saber que a operação não deu certo e a guerra durou mais um ano depois ainda, com muito mais morte e destruição.

Uma das coisas que achei interessante no filme foi o fato deste demonstrar como a história não é algo previsível ou uma série de acontecimentos inexorável e maçante, como fica parecendo em algumas aulas de história. Ele também é uma boa descrição de uma estrutura burocrática complexa e a importância de entender o seu funcionamento, afinal a operação em si  é basicamente uma ampla manobra que manipula o próprio aparato do estado alemão. O desenrolar da operação dentro deste aparato deveria ser usado como estudo de caso em aulas de administração pública ou privada. Em termos de projeto,a operação mostra a importância tanto do planejamento como da aplicação cuidadosa e gerência, afinal toda a operação é posta a perder por detalhes. Após um certo ponto não adianta ser cauteloso.

O filme tem o mérito de conseguir manter o ritmo da narrativa interessante, com uma coveniente impressão de imprevisibilidade. O que não é algo trivial, ainda mais quando já se sabe o final de antemão e que esse não foi nada bonito.

E também é, claro, um tributo a homens e mulheres que tiveram coragem de arriscar tudo: honra, cargo, pátria, família e perderam. O que me lembra uma frase do brigadeiro Eduardo Gomes que está gravada no forte de Copacabana que diz que à pátria tudo se dá e nada se espera, nem mesmo compreensão. Mesmo perdendo fica patente a coragem e esforço dos conspiradores e serve para mostrar que a história humana pode ser muito mais ampla, variada e rica que a simples descrição do ponto de vista de quem “ganhou”.

Anúncios