Recebi essa pelo twitter do Mattar.

A idéia é bem legal, um jogo educativo descrevendo o processo de produção do McDonald´s, o que bate com a idéia do Ian Bogost que comentei tempos atrás, usar um jogo para descrever um sistema.

Pelo que entendi a idéia é mostrar como o processo de produção da empresa é intrinsecamente destrutivo. Ao colocar o aspecto econômico acima de tudo a empresa produz uma série de problemas ambientais e sociais (as tais das externalidades que os economistas comentam) como a destruição de florestas, desemprego e riscos à saúde pública. O jogo é muito bem feito, com imagens agradáveis, uma interface de fácil interação e o entendimento do jogo é muito mais rápido que aparenta. Em termos de execução a equipe de design merece nota 10.

Porém em termos educacionais acho que faltou fazer o dever de casa, por um lado o jogo martela sobre os danos que o modo de produção do Macdonald´s produz e a irresponsabilidade da empresa nesse aspecto. Porém do ponto de vista do jogador o que fica patente é a necessidade de usar artimanhas criminosas como forma de manter os lucros, como subornar prefeitos, destruir o meio ambiente, desalojar comunidades etc. Caso contrário o jogador vai perder sempre e aí temos um belo dum nó.  Por um lado está o conteúdo que os projetistas pretendem ensinar exposto segundo o padrão tradicional de ensino enquanto do outro a idéia de construção de conhecimento e o aprendizado pela experiência dizem exatamente o oposto do que os projetistas supostamente desejam ensinar. O discurso simplesmente não bate com a experiência, e a meu ver a  experiência é o ponto fundamental do potencial educacional através de jogo.  Se a idéia é criticar o MacDonald´s acho que o fizeram de forma perigosa, esvaziando o próprio discurso. Afinal a mensagem que eu li foi “Eles roubam, eles colocam em risco a saúde das pessoas mas não há modo de se ganhar dinheiro sem fazer isso.”  Se a idéia é incentivar a reflexão me parece uma completa bola fora. Conseguiram fazer exatamente o contrário do Ayti, por exemplo, foi algo como “faça o que eu digo, ainda que a experiência diga o contrário”.

Em suma é  ótimo em termos de webdesign  que eu achei perigoso e desastrado em termos de projeto pedagógico. O que serve para mostrar que jogos educativos, e o uso de tecnologia em educação deve ser sempre um projeto transversal, equilibrando demandas e objetivos de disciplinas variadas. Claro, eu analisei o jogo baseado em minha experiência ao jogá-lo, mas seria interessante testar seriamente o efeito do jogo junto ao público. É só hipótese minha, mas tenho minhas dúvidas se vai produzir o efeito desejado por seus idealizadores.

Anúncios