Confesso que não esperava muito mais que um filminho romântico…

19962260… e foi um prazer ver que estava redondamente enganado. Com participação de Wagner Moura e Letícia Sabatella, Romance é um daqueles filmes que pode ser considerado bom demais para o circuitão. Afinal, pelo menos para mim, a recepção foi mais morna que o filme merecia. Recomendo com fervor o filme  para o ensino da artes cênicas ou de comunicaçação, sejam estudantes, professores ou profissionais. Seu potencial didático fica claro no uso de metalinguagem e a combinação de romance salpicada de comédia ainda assim mantém o filme como um ótimo entreterimento. Além da trama romântica o filme discorre deliciosamente bem sobre o mito de tristão e Isolda, a idéia de amor romântico, o teatro e o funcionamento da indústria cultural brasileira (a TV). A fotografia já me deixou com uma boa impressão desde o menu do DVD e com outras sequências belíssimas, como os contrapontos entre os beijos e abraços do casal abraçado e pinturas famosas além de cenas que me lembraram alguns dos melhores trabalhos do Almodovár, como carne trêmula.  Mostrando como o erudito não precisa ser chato. Enfim, um trabalho com aquela elegância visual e qualidade que caracteriza Guel Arraes e a própria Globo quando se dispõe a fazer algo decente.

Confesso que não consigo entender qual o motivo da Globo não dar um destaque sequer próximo ao que foi dado para Se eu fosse você 2, que não deixa de ser uma comédia bem divertida. Ás vezes acho que a Globo tem um constragimento enrustido de fazer bons trabalhos, jogando as pérolas de sua programação, os trabalhos mais sofisticados ou mais experimentais para aqueles horários que ninguém assiste. Por outro lado, divulgação de “Romance” me pareceu bem aquém da qualidade da obra, inclusive o seu cartaz.

Falando sobre cartaz, ao acessar o site para colocar o link neste texto descobri um interessantíssimo blog onde se pode conhecer um pouco mais o projeto do filme, até sua finalização. Por exemplo, foi onde entendi porque não havia gostado do cartaz. Inclusive neste blog podemos ver uma versão corrida do filme dentro do filme, que se tivesse sido realmente feito provavelmente também seria um trabalho muito bonito.

Enfim um daqueles que deveria ser aclamado como um grande filme brasileiro mas vai passar batido. Mas tudo bem, isso acontece lá fora também.

Anúncios