Uma das coisas que comprovei durante meu projeto final foi que um bom designer instrucional não é necessariamente um bom tutor ou bom professor. Senti isso na pela durante minha turma de teste. Mesmo conhecendo bem o conteúdo e desenhando o curso tive muita dificuldade em criar um vínculo com os alunos, resultando num índice de evasão bem acima do esperado.

O que me leva a concluir que posso ter um belo problema de projeto do curso, hipótese eliminada pela orientadora e examinadora do projeto, ou ainda tenho muito a desenvolver em termos de competência como tutor, principalmente em termos de experiência prática. Inclusive vi uma matéria do Estadão comentando justamente sobre a baixa carga horária de matérias práticas sobre didática dentro dos currículos de pedagogia nas faculdades brasileiras.  Mesmo na pós não tivemos muita prática de ensino a distância, o que talvez explique minha dificuldade inicial como tutor.

O que demonstra a importância da prática ou da reciclagem na capacitação de professores.

Anúncios