Long, long time ago… quando eu ainda estava lendo guias de profissão para escolher o que faria na universidade li que o profissional de desenho industrial trabalha junto com diversos outros profissionais, como publicitários, engenheiros, psicólogos etc.

Anos de curso e experiência profissional depois, creio que faltou o guia avisar que “trabalhar junto” muitas vezes vai significar “entrar em conflito com”, as diferenças de visão e forma de trabalhar acerca de um mesmo assunto podem render longas reuniões e discussões mais enfadonhas ainda.

Por exemplo, assistindo uma apresentação de um projeto de curso pude observar um desses conflitos disciplinares de camarote: Por um lado uma das examinadoras, que era pedagoga, reclamava sobre o viés exagerado do trabalho para a administração, de que apesar de metodológicamente correto o trabalho era muito “corporativo” que faltava abordar a filosofia e os teóricos de educação e pensar nos reflexos políticos e ideológicos do trabalho. Enquanto outra examinadora, esta da psicologia do trabalho retorquia que o objetivo do trabalho era justamente atender ao ambiente corporativo e que em um projeto para especialização o que se espera é o apuro metodológico.

Foi interessante ver os reflexos de viés de cada disciplina. Sempre gostei da psicologia por sua exigência de método científico ao mesmo tempo que concordo que temos de estudar mais os grandes nomes da educação. Enfim o caso mostrou que aquela fábula hindu do elefante continua válida e como, conflituoso ou não, o trabalho multidisciplinar é necessário.

Anúncios