Essa eu li no blog da Sandra Carvalho. Ao contrário de certos boatos apocalípticos a pirataria não está destruindo a música, mas sim a venda de cd´s. Enquanto estas diminuem artistas usam as tecnologias web para divulgar seus trabalhos sem gravadoras como intermediários. A oferta de música via web é tão variada que permite um alto grau de segmentação no mercado de música. E livres dos problemas logísticos da produçao e distribuição de CD´s a necessidade de se fazer música para agradar grandes públicos vai diminuindo. E alguns acreditam que os tempos dos “blockbuster”, os mega-astros apoiados na venda de milhões de discos está passando.

De fato, parece que o “disco” como conhecíamos vai desaparecer, vamos retornar a únidade básica do trabalho do músico que é cada música. Estaremos desobrigados a comprar um pacote fechado com músicas que queremos, e outras nem tanto na ordem que o artista decidiu. Com as novas tecnologias o usuário baixa as músicas, monta suas seleções e problema resolvido. De certa forma é uma revolução parecida com a dos software livre, com suas tão faladas liberdades. Inclusive num próximo post vou demonstrar um ferramenta de seleção de músicas para blogs.

Por outro lado, como ficam os músicos nessa? Se não venderão mais CD´s vão viver de quê? A resposta é que vão continuar ganhando dinheiro com shows, grandes e pequenos, publicidade e cia. Enfim um novo modelo de negócios para música vai se formando.

Essa idéia é propalada pelo escritor americano Chris Anderson, autor de “Cauda Longa” e é uma interpretação original da inglória lutas das gravadoras contra a distribuição de músicas de forma gratuita. Como comentado pela Sandra:

“Uma das teses de Anderson, um dos pensadores mais inspirados sobre negócios no século 21, é de que tudo que pode se tornar digital se tornará digital, por força de suas razões econômicas. E tudo que se torna digital, se torna free na internet.”

Eu dispensaria o free e trocaria por “gratuito” mas de resto concordo com a idéia. Vamos agora usar a cabeça para criar novos modelos de negócio.

Anúncios