Agora complicou, uma pesquisa feita pela Universidade de Ohio mostra que o ensino de forma mais abstrata facilita o entendimento da matemática e, principalmente, sua aplicação em conceitos diferentes.

Explicando melhor, até hoje é muito comum os professores utilizarem analogias para explicarem conceitos ou problemas de matémática. A idéia é aproximar os conceitos e raciocínios da realidade do aluno e assim facilitar o aprendizado. Tanto que nos últimos anos professores se esmeravam em criar longos enunciados simplesmente para contextualizar e apoiar o entendimento do aluno. Porém o experimento aleatorizado e controlado realizado em Ohio sugere que tal apoio pode ser mais um problema que uma solução.

Os resultados dos alunos que aprenderam as teorias em suas formas mais básicas tiveram resultados melhores que os que aprenderam por analogias. Adicionalmente quando a forma de aplicação mudava (de um problema que falava em laranjas, para outro que falava trens ou balões) os alunos que aprenderam por analogias tinham resultados piores. Enquanto os resultados dos que aprenderam de forma abstrata, se atendo as fórmulas se mantinham uniformes.

Isso coloca em cheque o ensino de matemática através de analogias, como trens, bolas, frutas e etc. Parece que um dos problemas de certas analogias é que os alunos tendem a se ater aos dados superficiais, perdendo o foco do conteúdo que deve ser realmente aprendido. Como se o aluno pensasse mais nos trens e frutas do que nas fórmulas que realmente deveria aprender.

Confesso que como designer a idéia me preocupa. Mas talvez signifique apenas que temos de repensar o uso de metáforas e outras formas de visualização.

Ainda assim essa interpretação superficial é um problema interessante com o qual teremos de lidar.

Anúncios